Categories:

7 livros infantis que amo e recomendo

Como o dia das crianças está chegando, resolvi usar essa data como desculpa para falar sobre uma das coisas que eu mais amo nessa vida: livro infantil!

Eu gosto muito desse gênero da literatura, o considero vasto, rico, e guardo algumas edições como verdadeiras preciosidades aqui em casa. Como expliquei na resenha do livro Uma criança única, “os motivos para essa paixão são diversas, como a leitura rápida ou a grande quantidade de ilustrações para apreciar. Também gosto da surpresa, de abrir e descobrir um novo formato, a forma como reinventam as dobras dos papéis, ou reinventam a própria história, dando uma nova roupagem à contos antigos. Gosto quando eles são bobos, divertidos e despretensiosos, mas prefiro quando eles são profundos e transmitem, de forma breve e bela, vivências ou sensações que às vezes não conseguimos exteriorizar em palavras, mas reconhecemos imediatamente ali. Sendo crianças ou não.”

Pensando nisso, fiz uma listinha com os livros que guardo eternamente no meu coração e recomendo, tanto para o caso de você precisar de uma sugestão para presentear uma criança, ou para o caso de apenas querer ter um ótimo título na sua coleção! Confira:

Na noite escura – Bruno Munari

É impossível falar sobre literatura infantil sem citar o Bruno Munari, por isso vou começar a lista com ele. O Munari criou o conceito de pré-livro, que, resumidamente, são livros sem texto (ou pouquíssimas palavras), com tipos de papel e recortes diferenciados, para que a criança possa explorar o livro como se fosse um objeto. O objetivo dessa fuga do formato tradicional é incentivar a leitura desde cedo, mas de forma criativa, experimental, ampliando a percepção sensorial da criança. E o título Na noite escura é um belo exemplo de pré-livro: como sua intenção é passear com o leitor em uma noite qualquer, ele tem folhas pretas e imagens de silhuetas, além de recortes para simular luz. O livro também contém páginas com transparência em papel vegetal, simulando uma neblina, e partes com recortes, para simular a entrada em uma caverna. É um passeio completo ali, na sua mão, e só folheando para entender realmente toda a sua engenhosidade

Indico esse livro para fãs de livros em geral, designers e crianças pequenas, e você pode adquiri-lo na Livraria Gaudi.

Quimonos – Annelore Parot

Eu sou super fã das kokeshis da Annelore, tanto que já falei sobre o trabalho dela aqui no blog. Na época em que os livros foram lançados no Brasil eu fiquei doida e queria comprar todos, mas eu era uma estudante super sem grana e acabei comprando apenas o Quimonos. O livro tem uma história bem simples, já que tem como objetivo apenas apresentar as kokeshis, mas eu gosto muito dele porque tudo é muito fofinho, colorido, detalhado, e com referências asiáticas culturais e visuais. Além de tudo isso, o livro também segue essa linha de experimentação do Bruno Munari: a maioria das páginas contém atividades de observação, sendo que algumas têm recortes diferenciados e abas para serem exploradas. Ou seja, é um livro divertido, lindo, e em uma edição maravilhosa, para amante de livro nenhum colocar defeito!

Eu o recomendo para crianças, ilustradores e amantes da cultura asiática, e você pode comprá-lo na Amazon.

Onde vivem os monstros – Maurice Sendak

Com certeza você já ouviu falar desse livro, e ele não é um clássico à toa. A história aparentemente simples sobre um menino com imaginação fértil, que chega até uma ilha dominada por monstros, se soma à ilustração perfeita de Maurice Sendak, se tornando um retrato lindo do que é a infância e como nossos questionamentos se misturam com a fantasia nessa época. Mas, devo confessar que o maior motivo de gostar desse livro é por ele ter originado o filme, de mesmo nome, lançado lá em 2009. Ele se tornou um dos meus filmes preferidos, e é com certeza o que mais mexe comigo, por sua sensibilidade simbólica. Porque às vezes é preciso dar um tempo da realidade. Às vezes é preciso crescer. Mas é sempre necessário enfrentar nossos monstros, e isso pode ser bom

Acho que esse é um livro obrigatório para ilustradores, e pode ser adquirido na Amazon.

A lua, as estrelas e as pequenas coisas – Paula Ayumi

Ainda falando sobre títulos poéticos que mexem comigo, temos A lua, as estrelas e as pequenas coisas, da Paula Ayumi. Eu queria ter feito resenha dele assim que o li, mas confesso que faltaram palavras para descrevê-lo, eu mal consigo explicar a sua história! Mas, a sensação que tenho quando o pego para ler é bem parecida da vez em que terminei de assistir o filme Onde vivem os monstros: uma identificação que doeu um pouquinho, mas ao mesmo tempo ele me curou na medida. É um livro com um formato bem diferente e surpreendente, bem curtinho, e eu tenho muito carinho por ele.

Eu o indicaria para crianças e amantes de livros em geral mas, infelizmente, ele não se encontra disponível para compra no momento. Se algum dia surgir a oportunidade de tê-lo, agarre!

O pato, a morte e a tulipa – Wolf Erlbruch

Eu tenho vários títulos infantis que falam sobre a morte (já que os usei como referências para o meu TCC, que foi um livro ilustrado infantil sobre o tema :3) e, apesar de parecer um tema mórbido demais para as crianças, eles são extremamente importantes. Muitas pessoas tendem a idealizar a infância, como se esta fosse uma fase da vida longe de acidentes e conflitos, evitando assim falar sobre assuntos dolorosos ou complexos, mas a realidade é que a morte representa o primeiro desafio intelectual vital para evoluir o conceito sobre a vida. E, diante de tantos títulos ótimos sobre o assunto, dou destaque para O pato, a morte e a tulipa, que apresenta a história de um pato que descobre, certo dia, que a Morte o segue (esta, personificada em uma caveirinha simpática e até amigável). Acompanhamos então o convívio entre os dois, diálogos super simbólicos… e até hoje eu me questiono o que seria a tulipa nessa história.

Recomendo para crianças ou pessoas que estão passado por uma fase de luto. Infelizmente não encontrei links para comprar esse título (ele foi lançado no Brasil pela Cosac Naify, editora que não está mais ativa), mas é possível assistir à essa animação, que está bem fiel ao livro.

A montanha encantada dos gansos selvagens – Rubem Alves

Eu queria ter colocado nessa lista o livro Os morangos, que também é de autoria do Rubem Alves, mas a pessoa aqui não tem o livro, por pura procrastinação em comprá-lo (shame on me!). Mas A montanha encantada dos gansos selvagens é outro título maravilhoso desse autor brasileiro, que também tem como tema a vida, a morte, a forma como lidamos com nossas perdas, nossa dor, até chegar na compreensão leve sobre nossa efemeridade. Em termos pedagógicos, esse livro é melhor do que o O pato, a morte e a tulipa, por ter mais situações e reflexões, para que as crianças possam ter um repertório maior para falar sobre o que a angustia sobre a morte. Eu queria muito ter escrito esse livro! É maravilhoso, e você deveria dar uma chance à ele

O recomendo para todo mundo, sendo possível comprá-lo na Amazon, Estante Virtual ou Livraria Cultura.

Chapeuzinho Vermelho – Dnepwu

Por fim, mas não menos importante, temos a releitura do Daniel Wu para o clássico Chapeuzinho Vermelho! Só por representar a protagonista como uma menina negra, esse livro já é uma grande referência, mas ele me surpreendeu muito positivamente por todo seu conjunto. Além do traço lindo, colorido e cheio de vida, a composição das ilustrações é um item à parte. É possível encontrar o lobo escondido em algumas páginas, como silhueta, por exemplo! Achei a brincadeira muito interessante e o livro me cativou demais aí . Mas a dinâmica da história também é muito bacana, tudo acontece bem rápido e de forma leve, é uma releitura realmente diferente, que vale a pena conhecer!

Recomendo para crianças, ilustradores, e para quem gosta de clássicos da literatura. O livro não está disponível para venda em lojas físicas ou online, mas pode ser adquirido entrando em contato com o próprio Daniel (eu entrei em contato através da fan page no Facebook!).

E então, o que vocês acham de livros infantis? Gostam do gênero ou pararam de ler lá na infância?

||||| 8 Curtir |||||
Tags:Tags:

  • Escrito por Luciana Midory

    Designer, caçadora de coisas fofas e especialista em sair de olhos fechados nas fotos. Além de coisas cute, gosta de tudo o que é amarelo, oriental, bizarro e singular.

MATÉRIAS SEMELHANTES


17 Comentários

  • Yuri S

    11 de outubro de 2017 às 11:04 Responder

    Encantado com o post e vou fazer um semelhante que tava com a ideia anotada! Gostei muito da proposta de todos os livros e vou salvar aqui pra ver se um dia consiga adquiri-los. “Na noite escura” parece muito interessante, eu amei a ideia e achei a edição linda pelas fotos (principalmente por ser preto!) e preciso ler “Onde vivem os monstros”… o filme me deixou com uma sensação que não sei descrever, então quero viver o livro agora.

    Vou assistir também o vídeo do “Pato, a Morte e a Tulipa”… eu também acho que é essencial esse assunto de morte ser abordado já na infância, porque é uma coisa que já é difícil de lidar e até mesmo entender na vida adulta, então precisa ser trabalhado desde sempre.

    E vou falar… fico muito putooo que não dá pra adquirir mais certos livros depois das campanhas no Catarse. HAHAHA Amei essa edição da Chapeuzinho Vermelho, como faz agora?

    • Yuri S

      11 de outubro de 2017 às 11:22 Responder

      Update: Acabei de assistir o curta do “Pato, a Morte e a Tulipa” e tô sem palavras, achei lindíssimo.
      Uma pena que não tem mais o livro pra vender

      • Luciana Midory

        13 de outubro de 2017 às 09:00 Responder

        Yuri, sempre rola umas coincidências e alguém lança um post que já estava no nosso rascunho, né? Ahahahaha. Vou adorar ver a sua matéria sobre o assunto, tenho certeza que vai me dar vontade de aumentar minha coleção

        Achei interessante você falar que o filme Onde vivem os monstros te deixou com uma sensação que vc não sabe descrever… quando eu assisti, a palavra que define melhor foi: inconsolável! Foi difícil aceitar que o Max tinha que ir embora, me identifiquei muito com o Carol (sim, me identifiquei com o monstro, ahahah!).

        Eu também fico muito triste quando não consigo adquirir mais um livro que foi vendido via Catarse a maioria dos artistas tem lojinha online, mas outros não… mas vamos aguardar a resposta do Daniel e torcer para ter disponível em algum lugar! Já O pato, a morte e a tulipa provavelmente você só encontrará se for usado

        Beijos, Yuri!

  • Carol R.

    11 de outubro de 2017 às 11:41 Responder

    Amei esse dos monstros
    bjs

    • Luciana Midory

      13 de outubro de 2017 às 09:01 Responder

      É bem bonito mesmo
      Beijos!

  • Emy

    12 de outubro de 2017 às 18:55 Responder

    Oi Mi! Eu acredito que presentear uma criança com um livro é dar a ela chaves mágicas para um mundo maravilhoso. Lembro que os primeiros livros pelos quais me apaixonei foram aqueles pop-up, numa época em que eu vivia indo no aeroporto levar ou buscar meu pai. A livraria do aeroporto era meu lugar preferido.

    Agora com minha filha eu tbm procuro implantar essa sementinha do amor pelos livros nela ♥

    Adorei as indicações, vou ficar de olho para encontrar esses exemplares!

    Beijos de luz ♥

    • Luciana Midory

      13 de outubro de 2017 às 09:10 Responder

      Emy, você disse tudo! Os livros realmente têm esse poder de nos transportar para lugares maravilhosos e, quando somos crianças, isso é mais intenso ainda!

      Eu também amava os livros pop-up, mas eu mesma só tive 1 nesse estilo. Eu tinha mais de gibis na época, ahahaha!

      Tenho certeza que sua filha vai amar livros! Nada melhor do que ver os pais lendo para que isso aconteça (e sei que você lê, então não tem como ela não gostar! ahahah).

      Beijos de luz para você também

  • Camila Faria

    12 de outubro de 2017 às 21:39 Responder

    Oi Luciana, eu sou louca por literatura infantil e tenho alguns livros do gênero (apesar de não ter nenhuma criança em casa). Onde vivem os monstros é simplesmente perfeito, sou apaixonada. E, nossa, gostei tanto d’O pato, a morte e a tulipa, queria ver “ao vivo”.

    • Luciana Midory

      13 de outubro de 2017 às 09:13 Responder

      Camila, que delícia saber que mais pessoas compartilham comigo desse amor por literatura infantil
      Eu também não tenho crianças em casa e todos os livros da lista eu li depois de adulta, ahahaha!
      Uma pena que O pato, a morte e a tulipa não está mais a venda mas, se tiver sorte, acho que consegue encontrar em algum sebo online

      Beijo!

  • Cássia

    13 de outubro de 2017 às 13:01 Responder

    Oi, Lu!

    Finalmente eu tive um tempinho livre no trabalho pra passar por aqui {sério, eu já estava começando a ficar desesperada por conta da minha ausência}.

    Mas vamos ao que interessa: estou apaixonada por esse post (que grande novidade, num é mesmo?!)

    Pode me julgar, mas todos os livros citados nessa matéria foram novidades para mim. É uma pena que nem todos estejam disponíveis para compra no momento, então pode-se dizer que você tem pequenos-grandes-tesouros na sua estante

    Fiquei muito curiosa para conhecer o curta e filme que você citou, pretendo assisti-los assim que tiver um tempinho (em casa, de preferencia, pra poder expressar minhas emoções da melhor forma) e depois eu volto aqui pra contar o que eu achei.

    Beijinhos e um ótimo fim de semana!

    • Luciana Midory

      13 de outubro de 2017 às 18:17 Responder

      Cássia, eu realmente estava sentindo a sua falta por aqui! Fiquei muito feliz quando vi que tinha comentário seu *-* (sempre fico, na verdade, ahahaha!).

      E eu também fico feliz em poder te apresentar esses livros (não te julgaria nuuuuunca! Literatura é um campo muito vasto, ainda mais que a maioria desses títulos eu li depois de ficar mais velha, época que você também já tinha parado de ler livros infantis, e a probabilidade de conhecê-los era bem menor! eheheh).

      O curta é bem rapidinho de assistir, já o filme… eu confesso que engoli seco aqui ao ler que você o procuraria, ahahah! Onde vivem os monstros é um filme bem diferente, bem lento… eu o amei, mas tem muita gente que não gostou, e eu entendo essas pessoas… porque não é uma questão de entendê-lo ou não para gostar, sabe, acho que a maior questão dele é se sentir tocado ou não, já ter vivido as emoções que ele representa… e não sei se torço para que você já as tenha vivido, ahahah! Enfim, de qualquer forma, se você der uma chances para ele, volte aqui sim para me dizer o que achou \o/

      Beijão!

  • Clayci

    17 de outubro de 2017 às 09:54 Responder

    Amei essas recomendações.
    Sou daquelas que mesmo com 30 anos se joga nos clássicos infantis.
    Tenho 4 sobrinhos e sempre trago alguma história para eles.

    Só fico triste porque de todos esses que vc listou eu só conheço a Chapéuzinho e Onde vivem os monstros (QUE É MARAVILHOSO DEMAIS)

    • Luciana Midory

      17 de outubro de 2017 às 12:50 Responder

      Clayci, eu acho o máximo quem consegue se despir do preconceito e aproveitar todos os tipos de literatura, independente de qualquer coisa (aliás, achava que vc era mais nova :D).

      Se você gosta de Onde vivem os monstros, com certeza irá gostar de outros da lista… espero que ainda esbarre em algum deles e tenha a oportunidade de ler

  • Dai Castro

    17 de outubro de 2017 às 21:39 Responder

    Eu simplesmente adoro histórias infantis ou infanto juvenis! São histórias sempre muito sensíveis que nos marcam de alguma forma.
    Eu fiquei encantada pela história dos gansos (a minha vó tem uma gansa de estimação) e desde criança eu ficava imaginando uma história fantástica com ela, então pra mim só isso já é um grande atrativo!
    Achei a temática do pato, a morte e a tulipa bem importante também, estou indo ver a animação, mas pelo comentário do Yuri ai em cima eu já estou me preparando
    Obrigada por compartilhar tanto amor!
    Beijos!

    • Luciana Midory

      18 de outubro de 2017 às 08:54 Responder

      Dai, fico tão feliz em ver que mais pessoas compartilham desse gosto por histórias infantis/infanto juvenis
      A história dos gansos é um amorzinho só, e talvez para você acabe se tornando mais especial ainda. Achei muito interessante a sua vó ter uma gansa de estimação, aliás! Ahahaha.
      Espero que tenha gostado do curta do Pato, a morte e a tulipa :))
      Beijos!

  • Juliana

    16 de novembro de 2017 às 17:20 Responder

    Eu gosto muito de histórias infantis ou infanto juvenis, porque ainda tenho um lado criança muito forte em mim hehe
    E também porque mesmo sendo histórias voltadas para um público mais jovem, adultos também podem aprender muito com elas.
    Não conhecia e adorei esse conceito do pré-livro, fiquei morrendo de vontade de ler (e sentir) o “Na noite escura”!
    Achei muito interessante abordar o tema da morte com crianças e fiquei muito curiosa com seu TCC. Você fala mais dele aqui no blog? Depois vou dar uma procurada.
    Na verdade leria todos livros desse post :3

    Suas fotos ficaram muito lindinhas Lu

    • Luciana Midory

      17 de novembro de 2017 às 10:33 Responder

      Ju, somos duas então! Ahahaha!

      Eu nunca falei sobre o meu TCC aqui no blog, mas eu pretendo falar um dia, sim! Não que ele tenha ficado no nível desses que citei nessa matéria, mas acho que seria bacana compartilhar essa experiência que foi super marcante na minha vida

      Ahhhh e obrigada! As fotos deram um trabalhão, ahahaha! Mas também gostei do resultado e fico feliz que você tenha apreciado também!

Escreva um comentário