Categories:

Resenha: Viva – A Vida é uma Festa

Eu gosto muito de animações, mas 2017 foi um ano em que eu assisti pouquíssimas. Faltaram títulos que me chamassem a atenção e, quando me dei conta, o ano tinha acabado e o blog ficou praticamente sem resenhas nesse setor

Ainda bem que 2018 promete ser um ano melhor para esse gênero, e a maior prova disso é que ele começou com a ótima estreia de Viva – A Vida é uma Festa! Eu assisti essa animação e amei demais, então vim correndo fazer uma resenha para te convencer a assistir também (resenha sem spoilers, aliás)

Viva – A Vida é uma Festa é a nova animação da Pixar, que estreou nos cinemas brasileiros no dia 4 de janeiro de 2018. O filme é ambientado no México, na data do Dia dos Mortos, e conta a história de Miguel, um menino que sonha em se tornar músico – mas, para seu azar, ele nasceu em uma família que baniu a música desde que seu tataravó saiu de casa, justamente por causa do sonho de viver de música.

A história base do filme é tão simples que você vai ao cinema já imaginando alguns acontecimentos – e acerta. Mas aí você vai se encantando com os cenários lindos que a Pixar produz, rindo das cenas engraçadas, torcendo para o personagem principal (quem não ama um menino talentoso e cheio de vida, disposto a lutar contra tudo pelo seu sonho?) e, quando você menos espera, a história despretensiosa te joga para acontecimentos inesperados e emocionantes, desses que tocam lá no fundinho do coração e te fazem chorar até desidratar!

Sério, é incrível como a história te surpreende e consegue ser tão delicada e tocante. O Dia dos Mortos é a lembrança perfeita de como a morte não pode desfazer os laços sanguíneos, muito pelo contrário: a história dos nossos antepassados é a base para construirmos a nossa. Isso não significa fazer exatamente o que eles desejam ou seguir os mesmos passos, mas sim lembrar que eles estão presentes no que somos e é importante tê-los sempre na memória.

Para mim, o filme teve um gostinho a mais porque alguns costumes mexicanos, pelo menos da forma em que foram retratados no filme, são muito parecidos com alguns costumes japoneses que a minha família ainda segue por tradição. Quando um membro da família morre, passamos a ter uma espécie de altar em nossa casa com a foto dele, e oferecemos comidas nesse altar em dias específicos. É uma tradição que eu vivenciei normalmente, desde criança, mas sei que é bem diferente para quem é de fora, e fiquei feliz em saber que também é comum em outra cultura!

Também vale destacar os cenários do filme: tudo é muito colorido, alegre, vivo! Principalmente a cidade dos mortos, você a sente pulsando, é uma coisa linda de se assistir. Além disso, temos a excelente trilha sonora, com destaque para a música “Lembre de mim” (cuja carga emocional fica por conta de quem já assistiu ao filme). Você pode ouvir a trilha original em português no Spotify, clicando aqui.

Bom, é isso! Se você quiser assistir um filme que te diverte, envolve, emociona e te faz sair do cinema com um quentinho no coração, assista Viva – A Vida é uma Festa. Ele é com certeza um dos melhores filmes que a Pixar produziu, ganhou merecidamente o Globo de Ouro (com certeza ganhará mais prêmios) e tá super recomendado!

E você, pretende assisti-lo? Ou já assistiu? Se sim, me conte suas impressões nos comentários o/

||||| 3 Curtir |||||
  • Escrito por Luciana Midory

    Designer, caçadora de coisas fofas e especialista em sair de olhos fechados nas fotos. Além de coisas cute, gosta de tudo o que é amarelo, oriental, bizarro e singular.

MATÉRIAS SEMELHANTES


10 Comentários

  • Camila Faria

    10 de janeiro de 2018 às 12:45 Responder

    Esse filme parece ser um amor Luciana! Todo mundo falando tão bem… quero assistir! Ano passado eu também assisti bem poucas animações, mas me lembrei de uma que assisti agora no final do ano chamada “Kubo e as Cordas Mágicas” (de 2016). Acho que o filme foi pouco falado por aqui, mas achei super simpático. Um beijo!

    • Luciana Midory

      12 de janeiro de 2018 às 08:27 Responder

      Assista, Camila! Eu não consigo imaginar alguém que possa não gostar desse filme, ele é muito amorzinho mesmo
      Eu quero muito assistir Kubo e as Cordas Mágicas, mas sempre me esqueço de procurá-lo (mal de quem fica dependente da Netflix). Obrigada por me lembrar dele, vou assistir assim que possível, pois ouvi falar muito bem dele

  • Fernanda Fusco

    11 de janeiro de 2018 às 16:27 Responder

    Fiquei com muita vontade de assistir! Adoro essas animações super coloridas e me chamou a atenção por tratar de um tema tão “tabu”… Você chegou a ver o vídeo de um garotinho tocando a música do filme em memória à irmã recém nascida? Eu me derreti igual manteiga e me acabei de chorar! ;-; Mas é bem interessante, porque, de acordo com o relato dos pais, o menino passou a lidar melhor com o sentimento de luto graças ao filme!

    Super me identifiquei com o blog! Adorei as temáticas que aborda! Sinto tanta falta de blogs femininos que vão além de produtos de beleza!

    http://blog.fernandafusco.com

    • Luciana Midory

      12 de janeiro de 2018 às 09:28 Responder

      Oi, Fer! Bem-vinda ao meu mundinho Fico feliz que tenha gostado dele!
      Eu também gosto de blogs femininos que não focam apenas em produtos de beleza… aliás, já fica a dica pra acessar meu blogroll, tem muitos nesse estilo por lá!

      Quanto ao filme, eu adoro esse tema de morte e luto! Gera histórias lindas quando bem trabalhadas.
      Eu não cheguei a ver o vídeo desse menino tocando a música pra irmã… pra ser sincera, só de imaginar eu já quero chorar ahahahahah! Não consigo lidar com essas coisas, mas já fiquei feliz em saber da existência de algo tão lindinho. As mensagens transmitidas pelos desenhos deviam ser eternas em nossas mentes

  • Grazy Bernardino

    11 de janeiro de 2018 às 20:35 Responder

    Ain, deve ser lindo. Eu já amei “Festa no Céu” e tenho certeza que vou gostar desse. Só que prefiro as músicas da Pixar/Disney no original. Moana me dá dor de cabeça em português, kkk.
    Beijos ♥♥

    • Luciana Midory

      12 de janeiro de 2018 às 09:22 Responder

      Espero que você goste de Viva
      Poxa, eu gostei bastante da trilha em português, acho a dublagem brasileira bem eficiente quando se trata de animações… Mas é questão de gosto mesmo, vai de cada um eheheh
      Beijos!

  • Clayci

    15 de janeiro de 2018 às 16:35 Responder

    Ahhh não vejo a hora de assistir.
    sinto falta de animações assim

    • Luciana Midory

      17 de janeiro de 2018 às 08:14 Responder

      Assista, Clayci! Tenho certeza que você vai amar

  • Livia Gabos

    19 de janeiro de 2018 às 20:27 Responder

    Nossa, assita Kubo! Você vai amar! É bem diferente e linda a história.
    Lendo sua resenha só fiquei com mais vontade de assistir!
    Beijos

    • Luciana Midory

      21 de janeiro de 2018 às 10:41 Responder

      Lili, você por aqui
      Assistirei Kubo sim! Ainda não assisti por pura preguiça de baixar, mas estou com muita vontade de ver, todo mundo fala super bem.

      Depois que assistir Viva me conte se gostou

Escreva um comentário